sexta-feira, julho 12, 2024
spot_img
InícioDestaque Religioso e CulturalSacudimento - Conheça, domine e pratique!

Sacudimento – Conheça, domine e pratique!

image_pdfimage_print

Esta publicação tem com objetivo explicar e trazer conceitos importantes sobre os sacudimentos, além de ensinar algumas receitas que poderão ser praticas por aquele que tiver o devido preparamento para tal ato. Confira!

• Texto – Prof. Eduardo Henrique Costa (Awo Ifá Leké).

O sacudimento é um tipo de limpeza espiritual utilizado na cultura africana, afro-brasileira e afro-cubana com o objetivo de descarregar uma pessoa. Os elementos passados são encantados com rezas e cantigas que durante o ritual ajuda quem precisa, com o objetivo de transferir toda negatividade ou energia destrutiva para os elementos e deixando o indivíduo purificado das impurezas que possa estar atormentando ou impedindo seu bem-estar.
Pelo fato de transferência da energia dos elementos para o indivíduo e o da pessoa para os elementos, normalmente ocorre depois de um determinado tempo, o ato conhecido como despacho. Esta prática de despacho é usada com objetivo de levar para a natureza todo aquele carrego para que seja transferido para outro local, onde os guardiões da natureza irão se encarregar de levá-lo.
Há alguns casos em que o sacudimento fica no próprio centro cultural e depois é despachado para coleta pelo caminhão de limpeza da cidade, mas aconselho que caso seja necessário entregar na natureza, evite deixar o que pode ser agressivo ao meio-ambiente ou provocar a poluição. Quando levo comidas e despacho numa floresta, servirá de adubo para as plantas, bichos e insetos comerá e isto não traz malefícios, mas a sacola de plástico que levei costumo deixar pelo caminho dentro de uma lixeira, longe do local onde o indivíduo possa passar e eu, durante vinte e um (21) dias.

Toda vez que faço um sacudimento em alguém e levo numa sacola todos os elementos que se encontram extremamente carregados de energias ruins, quando vou deixar na natureza e retirar da sacola, sempre jogo algumas moedas, búzios e ofereço um agrado para Èsù, pois é a divindade encarregada de levar toda energia embora e trazer o Àsè, o resultado, a energia positiva para o caminho de quem passou pelo ato. Jogar moedas, búzios, oferecer rezas ou agrados para Èsù na entrega do sacudimento na natureza, é uma forma de pagar, cumprir com o meu respeito e devoção, pois esta divindade é o Senhor do Ebó, nada sai ou entra nas dimensões ou nos caminhos, sem antes passar por ele. Há contos africanos que alertam que aquele que não estiver em dia com suas obrigações com Èsù, o mesmo pode atrapalhar os exercícios das funções religiosas e impedir o êxito.
As pessoas que mais costumam passar por este tipo de ritual são aqueles que estão sofrendo perseguições espirituais de obsessores, ou vampiros energéticos; vítimas de ataques de magias, pragas ou maldições; que possuem uma grande proporção de negatividades acumuladas. Mas há aqueles que vivencia esta experiência pelo motivo de nutrir a alma, devido uma perca alta de energia e acaba se encontrando muito frágil ou enfraquecidos. O sacudimento pode ter como finalidade além das limpezas, fortalecer e até mesmo para criar um campo protetor, trazendo o aumento dos campos de defesa do indivíduo, devido o aumento de energias (Àsè).

SACUDIMENTOS DE VÁRIAS FORMAS

No sacudimento podem ser utilizados vários elementos, tais como: ervas, frutas, verduras, legumes, flores, velas, grãos, sementes de vários tipos, alguns podem conter animais e outros não são usados. Quando o sacudimento é feito dentro do Candomblé ou na Religião Tradicional Yorùbá, é comum o ato de ocorrer sacrifícios de animais, diferente da Umbanda que irá optar pelos sacudimentos sem derramar ejé (sangue) e sem o uso de animais vivos. O sacudimento pode ser definido como um tipo de Ebó, porém, em específico os elementos são encostados e passados no corpo do indivíduo, neste ato a pessoa pode ser banhada com diversos grãos e elementos que são soltos de cima para baixo, um exemplo emblemático é a pipoca ser solta para ir caindo da cabeça para baixo, abalando as energias que se encontram na pessoa. Um outro exemplo emblemático, é quando o sacerdote faz uma espécie de vassoura com diversas ervas de limpeza e para a finalidade que aquela pessoa precisa e costuma ir batendo, entoando rezas e cantigas de limpeza, ou, um saco com diversos grãos enrolado em um pano, onde é batido levemente na pessoa, ou passado como se fosse uma esponja.

Èsù é a boca faminta, aquele que come de todas comidas, oferendas e pode se alimentar até da positividade ou negatividade que se encontra em algo. Existe muitos sacudimentos usados para esta divindade, com objetivo de curar doenças, tirar energiss ruins, aberturas de caminhos e muito mais!
Os sacudimentos costumam ser feitos quando banhos de ervas, além de outros atos simples acabam não sendo o bastante e não é feito apenas por querer fazer, é necessário que Èsù aceite ou que através do oráculo apareça a necessidade de ser feito.

RECEITA DE SACUDIMENTO ATRAVÉS DE ÈSÙ

– Elementos necessários:
4 Pades (água, cachaça, mel e dendê);
3 Tipos de grãos torrados (milho, feijão, etc);
7 Acaçás brancos ou amarelos;
1 Vela branca;
1 Morim branco e vermelho;
1 Frango (a cor do frango deverá ser verificada pelo oráculo, mas em algumas famílias tradicionais utilizam frango branco para harmonia, vermelho quando se trata de demandas espirituais e preto quando é algo muito grave que envolve questões de doenças ou morte).

– Modo de preparo:
Coloque o morim branco e vermelho no chão e peça para pessoa subir em cima estando descalça. Passe 4 tipos de padês encostando, podendo estar cada um em um alguidar. Em seguida, passe os grãos e deixe ir caindo lentamente sobre o morim, passe os acaçás de preferência começando pela cabeça e indo nos pontos vitais.
Passe a vela branca pelo corpo da pessoa e quebre-a em três ou acenda (confirme com o seu oráculo qual é a melhor alternativa), ou poderá usar uma vela para quebrar e a outra para acender. Alguns costumam usar a quantidade de uma, três, sete, ou até mesmo de acordo com o número do Odu.
Pegue o frango e passe-o começando da cabeça até os pés entoando durante todo ritual cantigas para Èsù. Alguns sacerdotes tem o costume de pedir para a pessoa fazer os pedidos no ouvido do frango, após isto, ele é sacrificado ou solto na natureza junto com o despacho.

O indivíduo que passou pelo sacudimento deverá seguir de forma rigorosa o preceito religioso, evitando vestir e ingerir cores pretas, vermelhas e roxas, não podendo comer nada que foi usado no sacudimento. Os dias de preceito pode variar entre três, sete, quatorze ou até vinte e um dias, dependendo de casa centro cultural ou apuração oracular. De forma plural na maioria das famílias não é permitido carne suína, além de evitar atos sexuais, bebidas alcoólicas, visitas em hospitais, cemitérios, bares ou ficar para de noite em ruas ou locais pesados.

SUGESTÕES DE LEITURA
+ AMOR E - ÓDIOspot_img

NOVIDADES